Câmara da cidade de Veneza é inundada apenas alguns minutos após rejeitar verba para combater o aquecimento global.

Em uma ironia do destino, minutos depois de membros do conselho da cidade de Veneza, pertencentes a ala da direita política, terem decidido rejeitar medidas para combate à crise climática, a câmara foi inundada por uma das maiores enchentes já vistas na cidade.

É a maior enchente a acontecer em Veneza nos últimos cinquenta anos, com o nível das águas alcançando quase dois metros de altura. Segundo a UNESCO, esta é a segunda pior cheia na história da cidade, perdendo apenas para uma cheia ocorrida em 1966.

Em um indício de piora nas condições climáticas, cinco das piores enchentes em Veneza ocorreram nos últimos vinte anos, e o prefeito da cidade, Luigi Brugnaro, culpou as mudanças climáticas pelo ocorrido, pedindo ajuda ao governo nacional para cobrir os custos da recuperação do local.

O conselho da cidade estava reunido para debater o orçamento para o ano seguinte quando o local foi inundado. Como escreveu no Facebook o deputado e ambientalista Andrea Zanoni: “Ironicamente a sala foi inundada apenas dois minutos depois dos partidos de direita terem rejeitado nossa proposta de incluir maiores fundos para conter as mudanças climáticas.”

Ele continuou afirmando que estava sendo apresentado ao conselho propostas de “aumentar os fundos para energia renovável, substituir os ônibus a Diesel por veículos menos poluentes, financiar o pacto de prefeitos pela energia sustentável e combate às mudanças climáticas, reduzir o impacto do uso de plásticos etc”.

A enchente atualmente já deixou boa parte da cidade embaixo d’água. Tal nível histórico vai deixar uma marca permanente na cidade, segundo o prefeito, e que é preciso que os governantes comecem a prestar maior atenção nos efeitos do aquecimento global. Segundo ele, os custos serão altos.

Por João Paulo Morais

Fotografia por Henrique Ferreira via Unsplash

Author: João Paulo Morais

Bacharel em Astronomia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre e doutor em física pela Universidade Federal da Paraíba, com estágio de doutoramento na Jacobs University, Bremen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *